Cirurgias de Terceiros Molares complexas

209 0
Especialização em implantodontia pela UNINCOR (polo Poços de Caldas/MG) de 2006 a 2008. Especialização em CTBMF (Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial) na faculdade São Peopoldo MANDIC – Campinas/SP. Professor da escola UNIFRAN na disciplina de cirurgia e traumatologia, no período de agosto de 2009 a novembro de 2009 (como substituto). Reabilitações protéticas extensas, endodontia, clínica geral.

Existem alguns terceiros molares e dentes supranumerários que requerem cuidados especiais na sua remoção, como aqueles que se encontram próximos ao nervo alveolar inferior e com o nervo lingual, aqueles que têm uma proximidade grande com o seio maxilar, supra numerários próximos ao assoalho do nariz; também as posições verticais e horizontais dependendo de como estão oferecem graus de dificuldades que podem gerar complicações durante as cirurgias e também no pós-operatório delas; alguns estão associados à lesões patológicas e requerem biópsia, para confirmação diagnóstica.

Existe também um tipo de inclusão extremamente complexa que se chama intrepmant (fig. 1), na qual o feixe vasculho nervoso se encontra aprisionado entre raízes dos dentes, requerendo habilidade e técnica cirúrgica apurada para remoção devendo-se avaliar o risco cirúrgico através de tomografia computadorizada.

Os terceiros molares inclusos complexos devem ser avaliados por tomografia de uma forma geral.

Também deve-se realizar anamnese detalhada da saúde sistêmica do paciente, para evitar-se complicações e emergências médicas durante os procedimentos. Algumas inclusões requerem internações hospitalares e procedimentos em centro cirúrgico, em caso de pacientes especiais.