Aparelho Auditivo melhora a compreensão da fala

163 0

É muito comum recebermos pacientes no consultório com a queixa: – Eu ouço, mas não entendo!!!

O que isso quer dizer?

Primeiramente, precisamos compreender que cada fonema, cada som, possui uma frequência sonora e uma intensidade. Quando iniciamos uma perda auditiva, essa pode ser uma perda assimétrica, ou seja, quando a perda auditiva acomete mais um tipo de som mais que outro. Assim, dentro deste raciocínio, uma dificuldade auditiva pode ser maior em uma frequência do que em outra, podendo o paciente, ouvir mais os sons graves do que os sons com características aguda.

Muitos pacientes acreditam que a dificuldade não está na audição, porém, na maioria destes casos a perda auditiva pode estar presente, em apenas, algumas frequências sonoras levando o paciente a ter a sensação de estar ouvindo. No entanto, se parte deste som não é percebido devido a uma perda auditiva é fato que haverá dificuldades no entendimento.

Assim a queixa ”eu ouço mas não entendo” pode ser caso indicativo para o uso de aparelho auditivo.

O aparelho, neste caso, tem a capacidade de compensar apenas os sons necessários para a boa inteligibilidade deste paciente, prevenindo isolamentos sociais decorrentes das frustrações causadas pela perda auditiva e, significativamente, os sintomas da depressão e má estimulação neural.

Perder a audição na terceira idade é comum, digo, até esperado, porém permanecer apático diante dessa situação se torna perigoso para o paciente.

Se você pede, com frequência, para que as pessoa repitam o que foi dito, ao telefone, se as máscaras durante a pandemia têm lhe atrapalhado, significativamente em um diálogo, se sua família reclama que você não está ouvindo adequadamente, sugiro que faça uma avaliação audiológica. O diagnóstico precoce pode sugerir um tratamento e até prevenir problemas secundários ocasionados pela surdez.

Agende sua consulta para uma avaliação: https://bit.ly/3sNUAtR