Bem mais que Aparelhos Auditivos

136 0

O novo conceito em aparelho auditivo da Direito de Ouvir traz em sua composição um som limpo e claro, estética surpreendente, ausência de baterias, redutores automáticos de ruídos e até ajustes a distância. Podemos sanar queixas de nossos pacientes, mesmo eles estando no conforto de suas casas…em tempos de pandemia isso se torna uma ferramenta importante. Porém as novas próteses MYDO, destacam-se ainda mais quando o assunto é inteligência artificial.

Adaptar aparelhos auditivos envolve bem mais do que apenas comprar um aparelho auditivo necessário, identificar as reais necessidades no dia a dia de cada paciente. Por exemplo, poder ouvir o som da TV ou celular diretamente no aparelho auditivo através de pareamentos com os dispositivos contribui, significativamente para um melhor entendimento dos sons pelo usuário.

Dentre tantos itens importantes inseridos nesses novos aparelhos o que mais me surpreendeu foi uma ferramenta chamada “alerta de queda”.

É sabido que no país os idosos são as principais vítimas de queda. A queda pode trazer muitas consequências, principalmente, em uma população tão frágil. O socorro imediato pode definir, muitas vezes, as consequências dessa queda.

Foi pensando nisso que uma das ferramentas do MYDO é o alerta de quedas. Através de um sensor, essa ferramenta identifica quando o usuário sofre a queda e envia mensagens de alerta, juntamente com sua localização para até 3 telefones cadastrados podendo ser filhos, cuidadores ou até mesmo nós, da Direito de Ouvir.

O aparelho auditivo através da inteligência artificial é capaz de estudar um padrão de movimento deste usuário calculando peso, altura e a inercia, caso haja uma queda, conseguindo identificar por exemplo se apenas o aparelho auditivo cair no chão. A informação se completa através da geolocalização o que informa onde acontece a queda.

Caso tenha sido uma queda sem consequências e o usuário queira cancelar o alerta, ele possui cerca de 60 segundos para fazê-lo, mantendo com isso sua segurança e autonomia.

Entendo que com novas tecnologias o processo de adaptação dos aparelhos auditivos se torna cada vez mais eficiente, e que a tecnologia quando para trazer conforto e qualidade de vida deve ser aceita de braços abertos em qualquer idade.