ENTREVISTA – Prefeito Alexandre Ferreira

25 0

O prefeito Alexandre Ferreira concedeu entrevista a Revista Qualitá, na qual faz uma breve avaliação de sua atuação nos onze meses frente à Prefeitura Municipal de Franca.

Confira a seguir as questões elaboradas pela jornalista Rosana Branquinho .

RQ- Como o senhor avalia esses 10 meses de governo?
Conseguimos transformar a Prefeitura realmente em um serviço para a população. Encontramos uma Prefeitura bem destruída, sem estrutura para trabalho, sem adequação administrativa, sem protocolos e sem dinheiro.

RQ – O senhor assumiu a prefeitura em meio ao caos da pandemia na cidade. Como foi esse momento?
Enfrentamos, nos primeiros meses, uma pandemia brutal. Em 15 dias de janeiro, já tínhamos mais casos do que todo o ano de 2020 inteiro, com condições horríveis e sem estrutura de atendimento. Quando assumimos, a cidade contava com apenas 13 leitos de UTI e chegamos a mais de 110 leitos.

Encontramos as áreas da Saúde e da Educação abandonadas. Todos os prédios da educação estavam incapazes de receber crianças e na área da Saúde não foi diferente: as instalações não estavam em condições de receber e acolher bem as pessoas.

Então, entendo que enfrentamos uma pandemia com dignidade, trabalho e respeito a toda população, mas com muita dificuldade. A pandemia gerou um sofrimento muito grande e por outro lado, nos mostrou que precisávamos fazer todo o sistema gerencial da cidade andar e foi para isso que fomos eleitos e foi o que fizemos.

RQ – O senhor acredita que este foi o momento mais desafiador até aqui?
Foi um momento desafiador para todo e qualquer gestor e administrador de uma empresa. Assim como é a prefeitura, uma empresa de 5.000 funcionários com um pouco mais de 900 milhões de receita, o que é insuficiente para cuidar de todos os aspectos de uma só vez. Além disso, encontramos uma prefeitura em más condições administrativas e politicamente enfraquecida, em termos de representatividade no Governo Federal e Estadual.

RQ – As redes sociais permitiram uma aproximação maior da população com o Executivo e o senhor tem se mostrado bastante para a comunidade. Como é essa relação virtual?
As redes sociais representam uma ferramenta relevante como forma de falar diretamente com a população. É um caminho rápido e eficiente para nos comunicarmos com as pessoas. Até para o prefeito poder trabalhar melhor, ter acesso aos serviços e resolver os problemas da cidade. Foi muito importante porque passamos a escutar a comunidade, entender o que ela precisa e atender as suas reais necessidades. As plataformas digitais trazem essa possibilidade.

RQ – Especificamente, na área da Saúde, quais foram os ganhos para a cidade nesses 10 meses?

Na área da saúde houve uma significativa evolução. Por exemplo, passou de 13 a 110 leitos de UTI, aumentos de leitos na enfermaria, aumento de execução de cirurgias eletivas e aumento das consultas. Essa área ficou mais estruturada, quase triplicamos as consultas em relação a 2020, isso gerou mais exames, cirurgias, tratamentos e não deixamos faltar medicamentos na rede pública.

RQ – Bem estar e qualidade de vida devem ser a preocupação maior de um gestor. Neste sentido, o senhor poderia citar quais foram os avanços, destacando, por exemplo, Educação, Lazer e Cultura?
Na educação, o ajuste das vagas de creches. Não existe mais creche sem crianças e o que é mais importante, não existem crianças sem creches. Conseguimos absorver toda a demanda, reformamos os prédios das escolas e da saúde, criamos condições na área de lazer para todos os bairros, estamos fazendo pistas de caminhada, quadras de areia, quadras de basquete, pistas de skate, patins, bike freestyle, em todos os bairros. Até fevereiro, vamos fazer em torno de 20, ajustamos na Feac o Bolsa Atleta e Bolsa Cultura que não estavam sendo pagos há quase 2 anos. Regularizamos, organizamos e estruturamos a situação. Demos oportunidade para os artistas francanos trabalharem, se exercitarem, criarem suas peças, seus quadros, suas poesias e apresentação de teatro e isso facilitou e melhorou a vida das pessoas.

RQ – Em sua opinião, quais foram as principais realizações neste período?
É importante ressaltar dentro da área social, o Renda Franca que possibilitou a distribuição de recursos para as pessoas com mais dificuldade. Criamos o Programa Dignidade para cuidar dos moradores francanos em condições de moradia de rua; montamos pernoite, melhoramos as Casa de Passagem, melhoramos o abrigo provisório, oferecemos vagas com atendimento médico e estrutura de atendimentos nas ruas.

Distribuímos mais de 28 mil cestas básicas nesses 10 meses; implantamos o Cartão Alimentação que corresponde à cesta básica, só que a pessoas podem comprar no mercadinho, tudo em débito automático, o dinheiro é depositado sistematicamente todo mês para que a pessoas de posse do cartão possam comprar seu alimento. Criamos todas essas condições que deram retorno para as pessoas que estavam em vulnerabilidade e dificuldade, até porque a Covid19 trouxe desemprego, uma afronta a dignidade das pessoas, da cidadania, das condições de vida e conseguimos dar o suporte necessário, através desses programas. Principalmente, por meio do Emprega Franca, de todos os convênios criados como, Senai, Senac, Sesi, SEBRAE, oferecemos condições de capacitação e qualificação, melhoramos o posto de atendimento ao trabalhador, criamos condições para quem estava empregando, para o empregador que estava buscando colaboradores. Isso fez com que tivéssemos um saldo positivo de mais de 10 mil empregos esse ano, gerando estabilidade para a cidade.

RQ – É notório que o Executivo depende do Legislativo para aprovação de leis e projetos. Como tem sido esta relação?
A Câmara tem nos ajudado muito no processo de aprovação das leis e projetos, fizeram um trabalho muito bem estruturado, bem organizado.

RQ – O que a população pode esperar da sua administração nos próximos anos?
Que vamos trabalhar incansavelmente para melhorar nossas necessidades, vamos recolocá-las no lugar que elas merecem, com renda, com estrutura, com serviços de qualidade sendo prestados. Nos últimos anos a qualidade de vida da prefeitura e da cidade caiu consideravelmente. Neste sentido, estamos resgatando esse processo e uma das coisas mais importantes é mostrar para as pessoas que 2022 vai ser diferente, um Natal de refresco em relação a Covid19 e também de crescimento econômico, populacional e qualidade de vida.

RQ – Deixa a sua mensagem para os leitores da Revista
Passamos por muitas dificuldades no ano de 2020 e o que a população pode esperar de nós é trabalho, somos responsáveis, estamos trabalhando firme para oferecer serviços e condições melhores para a população.

Um abraço a todos vocês, fiquem com Deus, bom Natal e que o ano de 2022 seja realmente muito melhor.