Franca, terra de oportunidades

185 0

Franca, o começo de tudo…
Com a descoberta das minas de ouro pelos bandeirantes, em Goiás e Minas Gerais, surgia o pequeno povoado que servia de pouso para os mineiros que seguiam em busca do precioso metal.

O comércio de sal foi um dos primeiro movimentos comerciais da cidade. Foi chamada, inicialmente, de Arraial Bonito do Capim Mimoso, devido ao clima de serra, boas pastagens e águas abundantes.

«O arraial de Franca, onde parei, fica situado num aprazível descampado, em meio a extensas pastagens salpicadas de tufos de árvores e cortadas por vales pouco profundos. O arraial ocupa o centro largo e arredondado, sendo banhado dos dois lados por um córrego. Não havia ali, à época de minha viagem, mais do que umas cinqüenta casas, mas já tinha sido demarcado o local para a construção de várias outras. Era fácil ver que Franca não tardaria a adquirir grande importância”.
(Auguste de Saint Hilaire/ 1819)

Desde então…
Devido a sua posição geográfica a cidade foi ganhando importância, primeiro com a indústria calçadista, fruto de trabalho árduo de homens idealizadores e visionários, que transformaram o perfil econômico da cidade e a projetaram como a “Capital do calçado masculino”.

Momentos áureos, com a valorização do produto, aqueceram as exportações e movimentaram a engrenagem econômica da cidade, gerando renda, emprego e divisas para o município.

Ainda considerada a principal atividade econômica da cidade, a indústria calçadista sofre com a concorrência desleal e altas cargas tributárias que impactam negativamente no setor, apesar do conceito, da fama e da qualidade de seus produtos.

O café, outro produto da nossa terra e que contribuiu com o desenvolvimento da nossa cidade, perdurou até meados de 1930, quando houve o declínio com a crise do café estabelecida. Muitos fazendeiros e profissionais que viviam da produção cafeeira foram severamente prejudicados.

No entanto, a tradição e as condições adequadas do solo, elevaram a região, atualmente, uma das principais produtoras do famoso grão, tendo Franca conquistado o selo de origem e procedência do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que além de identificar a origem do produto, é uma garantia de qualidade para o consumidor.

NOVO PERFIL

A Franca dos dias atuais é uma das principais cidades do interior do Estado, graças ao seu perfil socioeconômico diversificado. Tornou-se referência regional e é a segunda maior da região denominada Alta Mogiana.

Bem estruturada, a cidade conta com serviços de excelência na área da Saúde, Educação, Lazer e Qualidade de Vida. A rede de serviços cresceu muito, seu parque universitário é referência no país; a tecnologia se faz presente na produção de energia solar e se destaca com o Polo Tecnológico. O agronegócio continua sendo um dos mais representativos da cidade e região. O comércio ganhou nomes de expressão no cenário nacional com as grandes redes estabelecidas na cidade. Sua gente é aguerrida e batalhadora e acolhe a recebe com carinho aqueles que vêm de fora.

Cercada por uma região riquíssima em recursos naturais, Franca é o portal de entrada para o Turismo Regional e vizinha da famosa Serra da Canastra, berço do Rio São Francisco e situa-se na Região Turística denominada Lagos do Rio Grande.

Ao completar 197 anos a cidade avança, com maturidade, rumo a um futuro que promete alçá-la a um patamar bastante promissor, orientado ao desenvolvimento social, econômico e sustentável.