Os caminhos da Homeopatia

10379 0

Dr. Hermes Falleiros é formado pela Faculdade de Medicina de Santo Amaro com residência em Pediatria no Hospital Infantil ‘’Menino Jesus’’.

Recentemente, participei do II Workshop da Right Homeopathy, ministrado em São Paulo pelos professores indianos Avtar Mavi e Manroop Mavi, e do Seminário do Dr. Sankaran, também indiano, que aconteceu em Curitiba.

São duas maneiras diferentes de exercer a Homeopatia, especialidade médica descoberta em 1796 pelo médico alemão Christian Samuel Hahnemann, e a minha participação nos dois eventos serviram para solidificar mais a minha posição como homeopata, mesmo utilizando uma metodologia bem diferente da dos indianos, pois a minha formação foi com professores da Escola Francesa.

No workshop de São Paulo pude acrescentar ao meu conhecimento elementos novos em psicossomática, uma área que tem uma resposta excelente com o tratamento homeopático, e no seminário de Curitiba, aprendi novas maneiras de abordar o paciente durante a consulta, valorizando as suas sensações.

E em ambos os eventos, ficou muito claro o que sempre foi o meu pensamento, que Homeopatia não pode e não deve ser exercida por pessoas não devidamente habilitadas, ou seja, que não sejam médicos, pois tem uma ação muito intensa e profunda, e é necessário um conhecimento que vai muito além de saber prescrever esse ou aquele medicamento.

Infelizmente no Brasil, há cursos que habilitam pessoas leigas a prescrever remédios homeopáticos, o que constitui um perigo muito grande para a saúde e a vida da população.

Exerço a Homeopatia em Franca há 34 anos, e já tenho a alegria de estar cuidando da terceira geração de meus pacientes, ou seja, dos netos daqueles que atendi há muitos anos atrás, e venho acompanhando essas gerações de pessoas saudáveis, que veem em suas famílias os benefícios de uma terapêutica que, se bem aplicada, aumenta a imunidade, diminui a incidência de doenças em geral, e proporcionam o equilíbrio psicológico e emocional.

Este ano tivemos um inverno em nossa cidade com muitas variações climáticas, com frio, com temperaturas que há muito não víamos cair tanto, seguido de um período longo de estiagem, com uma queda preocupante da umidade do ar. Com toda essa variação, que durou todo o período do inverno, pude observar que as crianças que acompanho em meu consultório não adoeceram, e se tiveram alguma coisa, foi passageira.

Este ano tivemos um inverno em nossa cidade com muitas variações climáticas, com frio, com temperaturas que há muito não víamos cair tanto, seguido de um período longo de estiagem, com uma queda preocupante da umidade do ar. Com toda essa variação, que durou todo o período do inverno, pude observar que as crianças que acompanho em meu consultório não adoeceram, e se tiveram alguma coisa, foi passageira.

As crianças que são assim acompanhadas têm o benefício de sua imunidade aumentada, e nos alérgicos observamos uma gradual redução da frequência e intensidade das crises, até a cura total.

É comum as crianças adoecerem com frequência quando entram para a escola na primeira infância, e da mesma forma, os que se tratam com Homeopatia, ou não adoecem, ou se pegam alguma coisa de seus coleguinhas, conseguem curar-se mais rapidamente, como pôde ser provado este ano quando vários escolares adoeceram com a “síndrome de mão-pé-boca” e os que foram tratados com Homeopatia tiveram a remissão do quadro em um tempo muito menor.

Assim, a Homeopatia traz muita satisfação para o médico que a utiliza como opção terapêutica, com a certeza de ter pacientes felizes com os seus resultados.

Leave a comment